Home Notícias Vida do Trânsito registra redução de 20% nas vítimas fatais em acidentes em Teresina

Vida do Trânsito registra redução de 20% nas vítimas fatais em acidentes em Teresina

Comentários desativados em Vida do Trânsito registra redução de 20% nas vítimas fatais em acidentes em Teresina
Apesar de ter havido aumento do número de vítimas (+1,5%) de acidentes ocorridos em Teresina no quarto trimestre de 2014, passando de 1.670 (4º trimestre 2013) para 1.695 (4º trimestre 2014) vítimas, observou-se redução de 20% nas vítimas fatais de acidente de trânsito, em comparação com o mesmo período do ano anterior. Para vítimas graves ocorreu um aumento de 23,0%.
De acordo com a gerente de Educação de Trânsito da Strans, Samyra Motta, o aumento do número de vítimas graves de acidente de trânsito vem ocorrendo por conta do comportamento de risco e da imprudência do condutor. “Mesmo com uma diminuição significativa das vítimas fatais, que é o nosso maior objetivo, tivemos um aumento nas vítimas graves, o que nos preocupa e chama atenção para o comportamento no trânsito, pois a gravidade dos acidentes é intensificada pelo comportamento de risco e imprudência do condutor, como por exemplo, a velocidade excessiva”, destaca.
O relatório contabiliza que no 4º trimestre de 2014, em média a cada três dias, ocorre um acidente com vítima fatal em Teresina. Os dados mostram ainda que o maior período sem acidentes com vítimas fatais, nesse trimestre foi de treze dias (de 26 de novembro a 8 de dezembro).”Mais uma vez estamos percebendo que há uma ligação direta entre os acidentes e comportamento inadequado dos condutores, que insistem em correr riscos. O nosso trânsito ficou apenas 13 dias no trimestre sem registrar um acidente com vítima fatal”, complementou.
Os motoristas do sexo masculino mais uma vez representam a maior parte das vítimas, sendo 82,1% das vítimas fatais e 81,3% das vítimas graves. No que diz respeito à faixa etária, eles têm idade entre 18 e 45 anos, com destaque para a faixa de 18 a 25 anos, que correspondem a 28,6% das vítimas fatais, e a faixa de 26 a 35 anos, que correspondem a 27,7% dos feridos graves.
Outro dado que chama atenção é que a maioria dos acidentes nesse trimestre continuam acontecendo  nos finais de semana (sábado e domingo) com maior percentual de vítimas fatais e graves. Para Samyra Motta, isso mostra que os acidentes estão ligados à mistura de álcool e direção e ao excesso de velocidade.
Como nos relatórios anteriores, os motociclistas continuam sendo o grupo com maior registro de vítimas de acidente de trânsito, sendo (57,1%) para fatais e (80,9%) para vítimas graves, tendo como agravante o não uso do capacete e a ingestão de bebida alcoólica.
Além disso, o relatório mostra um dado preocupante, o crescente número de óbitos envolvendo pedestres quando comparado com os trimestres anteriores, verificou-se um aumento na mortalidade, passando de 6,1% (3º trimestre 2014) para 25%.
De acordo com o relatório, o risco de um condutor ou pedestre que sofreu um acidente de trânsito vir a óbito é de 11% a mais se tiver indícios de ingestão alcoólica, e para o não uso de capacete, o aumento do risco de óbito é de 17%. Portanto, o uso de álcool e a ausência do uso de capacete aumentam a letalidade do acidente.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

BMW abre nova linha de produção para módulos de bateria em Leipzig, na Alemanha

Produção de componentes eletrônicos é ampliada após investimento de 70 milhões de euros e …