Home Motos Produção de motocicletas registra o melhor acumulado até julho desde 2015

Produção de motocicletas registra o melhor acumulado até julho desde 2015

Comentários desativados em Produção de motocicletas registra o melhor acumulado até julho desde 2015

Em julho de 2022 saíram das linhas de produção mais de 104 mil unidades, alta de 10,3% em relação ao mesmo mês de 2021

As fabricantes de motocicletas do Polo Industrial de Manaus – PIM, produziram 104.776 unidades em julho. De acordo com levantamento da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo, o volume é 3% superior ao registrado em junho (101.695 motocicletas) e 10,3% maior na comparação com o mesmo mês do ano passado (95.025 unidades).

No acumulado do ano foram fabricadas 776.069 motocicletas, alta de 16,9% na comparação com o mesmo período de 2021 (663.888 unidades). Esse é o melhor resultado para os sete primeiros meses do ano desde 2015 (799.990 motocicletas).

“Mesmo com as férias coletivas de junho e julho as associadas realizaram um grande esforço de produção para atender a demanda do mercado”, explica Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.

Recentemente a Abraciclo revisou suas projeções para 2022. A nova perspectiva é a de produzir 1.320.000 unidades, volume 10,5% superior às 1.195.149 motocicletas fabricadas em 2021 – a projeção inicial, de janeiro, apontava produção de 1.290.000 unidades, com crescimento de 7,9%.

De acordo com Fermanian “a produção está seguindo a tendência da nova estimativa de junho, revista para cima, com ligeiro, porém constante crescimento”.
Vendas no Varejo

Em julho, foram emplacadas 107.449 unidades, queda de 11% na comparação com junho (120.841 unidades). Em relação ao mesmo mês do ano passado, houve baixa de 4,5% (112.538 motocicletas).

No acumulado do ano, os licenciamentos totalizaram 774.064 unidades, crescimento de 18,2% na comparação com o mesmo período de 2021 (629.692 motocicletas).

As projeções de vendas também foram revisadas pela Abraciclo: a nova perspectiva é a de que os licenciamentos alcancem 1.260.000 unidades, crescimento de 8,9% na comparação com o ano passado (1.156.776 motocicletas emplacadas).

Em julho, a categoria mais licenciada no varejo foi a Street, com 53.353 unidades e 49,6% de participação no mercado. A Trail ficou em segundo lugar (20.960 motocicletas e 19,5% dos emplacamentos), seguida pela Motoneta (15.595 unidades e 14,5%).
Segundo levantamento da Abraciclo, foram licenciadas em julho 88.135 motocicletas de baixa cilindrada (até 160 cm³), o que corresponde a 82% do mercado. Os modelos de 161 a 449 cm³ tiveram 15.174 unidades emplacadas (14,1% do mercado), enquanto as motocicletas acima de 450 cm³ registraram 4.190 emplacamentos (3,9%).

A média diária de vendas de julho, que teve 21 dias úteis, foi de 5.119 motocicletas. É o melhor resultado para o mês desde 2014 (5.261 unidades emplacadas/dia). Na comparação com junho, também com 21 dias úteis, houve queda de 11% (5.754 motocicletas vendidas/dia). Em relação ao mesmo mês do ano passado, que teve 22 dias úteis, os licenciamentos cresceram 0,1% (5.115 unidades/dia).

Mercado por região

A região Sudeste registrou o maior volume de licenciamentos no mês de julho, com 43.490 motocicletas e 40,5% do total do mercado. Na sequência ficaram Nordeste (30.968 unidades e 28,8% do mercado), Norte (13.369 motocicletas e 12,4%), Sul (10.168 unidades e 9,5%) e Centro-Oeste (9.504 motocicletas e 8,8%).

Em números totais do ano a liderança no ranking de emplacamentos é da região Sudeste (288.924 motocicletas licenciadas e 38,8% do total do mercado). Na sequência ficaram Nordeste (220.498 unidades e 29,6% do mercado), Norte (90.167 motocicletas e 12,1%), Sul (73.825 unidades e 9,9%) e Centro-Oeste (70.650 motocicletas e 9,5%).

Exportações

As fábricas instaladas no PIM embarcaram 4.962 motocicletas em julho para o mercado externo, aumento de 8,1% em relação a junho de 2022 (4.592 unidades). Na comparação com o mesmo mês do ano passado (6.026 motocicletas), queda de 17,7%.

De acordo com levantamento do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat, que registra os embarques totais de cada mês, analisados pela Abraciclo, os três principais mercados foram Colômbia (2.132 motocicletas e 40,6% do volume total exportado), Argentina (1.660 unidades e 31,6%) e Estados Unidos (758 motocicletas e 14,4%).

Com 30.077 unidades enviadas ao mercado externo de janeiro a julho, o acumulado segue em retração de 6,8% quando comparado ao resultado do mesmo período de 2021 (32.286 motocicletas embarcadas).

Ainda segundo dados do Comex Stat, as posições do ranking acumulado de exportações foram mantidas: Colômbia (9.128 motocicletas e 31% do volume total exportado), Argentina (7.845 unidades e 26,6%) e Estados Unidos (5.414 motocicletas e 18,4%).

Artigos Relacionados
Leia mais em Motos
Comentários estão fechados

Veja também

Nova campanha do Fiat Fastback: um salto na categoria de SUVs

Filme estreia hoje com 30” no intervalo das novelas da Rede Globo e no domingo (2 de outub…