Home Notícias Porsche estabelece quatro recordes no Autódromo de Interlagos

Porsche estabelece quatro recordes no Autódromo de Interlagos

Comentários desativados em Porsche estabelece quatro recordes no Autódromo de Interlagos

Inspirada pelos feitos consecutivos na famosa pista de Nürburgring, na Alemanha, a Porsche Brasil resolveu empreender a mesma façanha no Autódromo de Interlagos no último dia 6 de junho. Não levou apenas um carro de produção para conquistar novo recorde de volta, mas quatro modelos: 911 Turbo S, Panamera Turbo S E-Hybrid, Taycan Turbo S e Cayenne Turbo GT, modelo que estreia hoje no mercado brasileiro. Todos eles tinham características totalmente originais. A cronometragem coube à Racing Crono, que realiza o controle de tempos da Porsche Cup.

O propósito não era somente instaurar um novo recorde para estampar as virtudes esportivos dos modelos da marca, mas sim estabelecer tempos em quatro segmentos distintos: o Panamera tornou-se recordista na categoria de sedãs, o Taycan transformou-se no modelo 100% elétrico mais rápido e o Cayenne Turbo GT, o novo SUV recordista da pista. Além de todos eles, o Porsche 911 Turbo S conquistou o recorde absoluto da pista para carros de produção.

Piloto responsável pelas façanhas com os quatro Porsche, Max Wilson é um profundo conhecedor da marca e dos produtos. Coordenador técnico da Porsche Cup e comentarista de Fórmula 1 na TV Bandeirantes, ele tem um extenso currículo nas pistas, com destaque para a função de piloto de testes da Williams de F1 (1998-1999), disputa do campeonato de Fórmula Indy (2001) e campeão brasileiro de Stock-Car (2010).

Max entrou na pista primeiramente com o Cayenne Turbo GT cercado por muita curiosidade. Cravou 1min48s493. O conjunto constituído pelo motor V8 biturbo de 4 litros e 640 cv e tração permanente nas quatro rodas permitiu uma quebra de recorde em mais de 6 segundos. “Embora o Cayenne Turbo GT seja um SUV, eu me senti pilotando um autêntico esportivo. Ele é rápido, contorna e traciona muito bem. Destacaria ainda o poder de frenagem: eu vinha a mais de 260 km/h e freava depois da placa dos 150 metros na reta dos boxes. E tudo bem”, revelou o piloto, logo após cravar o tempo e retornar aos boxes.

Já o Panamera Turbo S E-Hybrid, dotado de motor V8 biturbo de 4 litros e 571 cv, combinado a um elétrico de 136 cv – potência combinada de 707 cv – registrou um tempo ligeiramente menor: 1min48s330. Max desceu empolgado do sedã esportivo: “São dois aspectos que merecem destaque: o primeiro deles é a combinação de potência e torque do motor a combustão com os elétricos. O resultado é brutal. E a segunda é o porte avantajado desse sedã. Estamos falando de um carro com 2,3 toneladas! Como pode ser tão rápido, frear tão bem e ser tão estável?”, afirmou.

Na hora de provar o Taycan, Max Wilson não escondia a expectativa, justamente pelas acelerações e retomadas viscerais que o torque do modelo (1.050 Nm) ofereceria na prova. “Por se tratar de um carro elétrico, devido à curva plana de torque, você tem respostas muito rápidas. Ele chegou a 250 km/h no final da reta e foi muito estável em curvas de alta e baixa velocidades. Agora, o que mais impressiona é o poder de frenagem do carro, mesmo pesando cerca de 2,3 toneladas”, comentou o piloto. E o Taycan não decepcionou. Com 625 cv (761 cv no modo Overboost), ela completou os 4.308 metros do traçado de Interlagos em 1min49s828.

Eis que chega a vez do ícone. O Porsche 911 Turbo S, equipado com o mítico 6-boxer de 3,6 litros turboalimentado de 800 Nm e 650 cv, já pressupunha que faria um tempo de destaque. Mas veio o resultado no cronômetro: 1min43s087. Max desceu do carro e exclamou: “Todo o conjunto é primoroso, mas o que mais impressiona é o motor. Atinge máxima próxima aos 280 km/h no final de reta… O que ele traciona nas saídas de curvas de baixa, como Pinheirinho e Bico de Pato, é espantoso. Mérito da tração permanente”, confessou, lembrando que havia pilotado um Porsche Turbo de corrida no passado e acabou “matando saudade”. O tempo de volta do Porsche 911 Turbo S, carro sem qualquer preparação, é apenas alguns segundos mais lento que os bólidos da Stock Car Pro Series em Interlagos (1min41s). “Se você mantiver as características originais do 911 Turbo S e adotar pneus slick, ele baixa o tempo de volta pra 1min39s”, ressaltou o piloto.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Jaguar Land Rover e Vibra anunciam parceria para acelerar serviços de eletrificação

Jaguar Land Rover e Vibra anunciam parceria de cooperação tecnológica e assinam memorando …