Home Notícias JAC Motors deve romper parceria com sócio brasileiro

JAC Motors deve romper parceria com sócio brasileiro

Comentários desativados em JAC Motors deve romper parceria com sócio brasileiro

 

 
A JAC Motors do Brasil está sob intervenção. Os chineses decidiram assumir o volante da operação, empurrando para o banco de trás o empresário Sergio Habib (foto), seu sócio e, até então, todo poderoso da montadora no país. Quem viu a recém-anunciada inversão das participações societárias – a matriz, que detinha apenas 34% da subsidiária, passará a ter 66% do capital – não sabe da missa a metade.
 
De acordo com a newsletter Relatório Reservado, os asiáticos preparam mudanças ainda mais drásticas, que refletiriam o esgarçamento de suas relações com Habib, responsável por trazer a marca para o Brasil. Segundo fontes ligadas à JAC, a montadora vai designar um executivo chinês para comandar toda a operação brasileira. Sua missão prioritária será conduzir a construção da fábrica de Camaçari (BA), projeto que, desde o início, sempre esteve concentrado nas mãos de Habib. Há fortes indícios de que a JAC estaria preparando o terreno para ejetar Sergio Habib da operação brasileira e assumir integralmente o controle da subsidiária. No entanto, este é um movimento extremamente delicado, que teria de ser consumado em doses homeopáticas. Os chineses não podem prescindir, da noite para o dia, da presença de Habib no projeto.
 
Do ponto de vista comercial, a JAC depende integralmente do empresário, dono de todas as 50 concessionárias da marca no país. Antes de selar o eventual divórcio, a montadora precisaria de um certo tempo para criar uma nova estrutura de distribuição no Brasil. O RR apurou que a JAC já teria mantido contatos com um dos maiores grupos revendedores de automóveis do país, dono de concessionárias das mais diversas bandeiras. Nos últimos meses, os desentendimentos entre a JAC e Sergio Habib, ex-presidente da Citroën no Brasil, aumentaram consideravelmente.
 
O principal foco de estresse é justamente a construção da fábrica de Camaçari, a primeira da empresa no Brasil. Os atrasos nas obras provocaram sucessivos adiamentos da inauguração da planta industrial. No mais recente, a data para o início das operações passou de dezembro deste ano para junho de 2015. No entanto, convictos de que Habib não conseguiria cumprir o novo prazo, os chineses decidiram intervir e assumir o empreendimento. Até porque os atrasos vêm sendo acompanhados de recorrentes aumentos dos custos do projeto, que batem diretamente no caixa do grupo. Procurada pelo RR, a JAC Motors do Brasil negou qualquer desentendimento entre a JAC China e o empresário Sergio Habib. Assegurou que não existe possibilidade de rompimento do contrato, em vigor até 2025. A companhia informou ainda que a vinda de executivos chineses para a fábrica "não só é prevista como natural."
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

BMW abre nova linha de produção para módulos de bateria em Leipzig, na Alemanha

Produção de componentes eletrônicos é ampliada após investimento de 70 milhões de euros e …