Home Notícias Gasolina cai 6,88% no país na primeira quinzena de setembro, com preço médio de R$ 5,276

Gasolina cai 6,88% no país na primeira quinzena de setembro, com preço médio de R$ 5,276

0

Amapá teve a maior queda (-14,41%) no valor da gasolina, seguido por Rio Grande do Norte (-8,76%) e Pernambuco (-8,73%); em São Paulo, preço recuou 7,78%, uma queda média de R$ 0,424 por litro

Na primeira quinzena de setembro, o preço médio do litro da gasolina comum foi de R$ 5,276, o que representa redução de 6,88% em relação ao fechamento de agosto. As informações constam do levantamento exclusivo feito pela ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas.

“Mais uma vez, observamos, nas bombas, o reflexo das recentes reduções autorizadas pela Petrobras dos preços nas refinarias, seguindo a queda nos valores internacionais do barril do petróleo”, explica José Ortigosa, CEO de Benefícios e Frota da ValeCard.

Os dados foram obtidos por meio do registro das transações realizadas entre os dias 1º e 12 de setembro com o cartão de abastecimento da ValeCard em mais de 25 mil estabelecimentos credenciados. Nenhum estado apresentou altas nos preços, mas as quedas mais tímidas ficaram com Roraima (-3,33%), Acre (-3,79%) e Amazonas (-3,81%).

Entre as capitais, o valor médio do combustível na primeira quinzena de setembro foi de R$ 5,174, o que representa uma queda de 8,68% em relação ao fechamento do mês anterior. Goiânia (R$ 4,733), Campo Grande (R$ 4,863) e Porto Alegre (R$ 4,895) foram as capitais com preços mais baixos na primeira quinzena de setembro. Já os maiores valores médios foram encontrados em Boa Vista (R$ 6,381), Belém (R$ 5,661) e Porto Velho (R$ 5,634).

Etanol cai mais que a gasolina (12,33%) e é vantajoso em quatro estados

Na primeira quinzena de setembro, o preço médio do etanol no País foi de R$ 3,524, o que representa uma queda de 12,33% em relação ao mês anterior, quando o valor médio era de R$ 4,020. Com a queda mais acentuada dos preços em relação à gasolina, o etanol passou a ser vantajoso para se abastecer o veículo em quatro estados: São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso.

O método utilizado nesta análise, descontando fatores como autonomias individuais de cada veículo, é de que, para compensar completar o tanque com etanol, o valor do litro deve ser inferior a 70% do preço da gasolina.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias

Deixe um comentário

Veja também

Nova campanha do Fiat Fastback: um salto na categoria de SUVs

Filme estreia hoje com 30” no intervalo das novelas da Rede Globo e no domingo (2 de outub…