Home Notícias Citroën Oli [all-ë]: Uma abordagem radical, responsável e otimista que inicia intenções audaciosas para o futuro da marca

Citroën Oli [all-ë]: Uma abordagem radical, responsável e otimista que inicia intenções audaciosas para o futuro da marca

Comentários desativados em Citroën Oli [all-ë]: Uma abordagem radical, responsável e otimista que inicia intenções audaciosas para o futuro da marca

ÍMPETO:

• O Citroën ‘oli’ ousa dizer “basta” e contraria as tendências do setor focadas em veículos familiares mais pesados, complexos, caros, com emissões zero, a fim de enfrentar os desafios da sociedade e da mobilidade do futuro
• Um manifesto conceitual impressionante de ideias inteligentes que desafiam o status quo; uma solução de mobilidade elétrica versátil e prazerosa para melhorar a vida e o estilo de vida de todas as pessoas
• Baseado no inovador Ami, tem um jeito atraente de tornar a mobilidade alegre, acessível, responsável e multiuso

AMBIÇÃO:

• Estar entre os melhores no ranking de avaliação do ciclo de vida graças à redução de peso e da complexidade, à utilização de materiais reciclados e recicláveis, ao preço acessível, à durabilidade e à longevidade
• Um otimista “laboratório sobre rodas”, o modelo é um manifesto multifacetado de ideias inteligentes para o futuro
• Peso definido em 1000kg com autonomia de 400km; velocidade máxima de 110km/h para uma eficiência máxima e consumo de 10kWh/100km; recarga de 20% a 80% em cerca de 23 minutos
• Promove uma nova abordagem dos serviços aos clientes de carros elétricos da Citroën, bem como novas experiências de parceria

ENGENHOSIDADE:

• Mais do que um carro – uma extensão multifuncional de sua vida diária que pode ser muito útil inclusive quando você não está dirigindo
• Facilitador do estilo de vida: dispositivo elétrico com capacidade de recarga inteligente V2G e V2L e potência para garantir uma condução e um estilo de vida prazerosos
• Silhueta não-convencional destacando uma estética honesta notabilizada pela funcionalidade, eficiência e durabilidade
• Forte personalidade que reflete uma visão inteligente do projeto de produto industrial e adota uma versatilidade multifuncional
• Eficiente com portas dianteiras idênticas, para-choques e elementos de proteção, painéis e vidros planos e materiais leves
• Capô forte e plano, painéis de teto e piso da caçamba que suportam o peso de uma pessoa, feitos com papelão alveolar
• Rodas híbridas exclusivas de aço/alumínio calçadas com pneus conceituais Goodyear Eagle GO, sustentáveis e inteligentes
• Interior espaçoso e inovador, com painel do tipo “prancha”, projetor HMI ‘Smartband’ e infotenimento do tipo “traga seu próprio dispositivo”
• Bancos de tela com encosto, no estilo escritório, piso lavável e materiais leves e recicláveis
• Círculo de vida: pode ser reformado, renovado e reparado com peças recicladas, pensado para ter vários proprietários sucessivos

MISSÃO:

• Demonstra a missão da Citroën de entregar uma mobilidade elétrica simples para todos, de melhorar o dia a dia das pessoas com o menor impacto possível para o meio ambiente
• Inaugura simbolicamente uma nova interpretação do logo com os dois “chevrons” da Citroën, que será adotado em todos os lançamentos de produtos, bem como uma nova identidade corporativa
• Expectativa de que as ideias, os elementos de design e os avanços no interior do Oli sejam integrados aos futuros modelos de série

1.ÍMPETO 2.AMBIÇÃO 3.ENGENHOSIDADE 4.MISSÃO

A Citroën tem a obsessão de prever o futuro da mobilidade acessível e o sucesso do Ami forneceu o ímpeto necessário para alçar o “não-convencional” a um outro nível com o conceito oli.

O inovador Ami demonstrou a ousadia da Citroën de agir de um jeito diferente para cumprir seu compromisso de tornar o transporte elétrico simples acessível para todos. Também serviu de estímulo para desenvolver o oli, um incrível e inovador “laboratório sobre rodas” destinado a transformar a mobilidade familiar contrariando as tendências do setor que privilegiam carros elétricos mais pesados, mais complexos e mais caros.

“Chamamos o projeto de ‘oli’ numa referência ao Ami e também porque resume o veículo – uma prova suplementar que apenas a Citroën pode levar a todos os tipos de pessoas uma mobilidade totalmente elétrica e realista de uma forma inusitada, responsável e gratificante”, disse o CEO da Citroën, Vincent Cobée.

Ele ilumina o caminho da Citroën: um manifesto aventureiro e multifacetado de ideias viáveis com foco na redução do peso e da complexidade de modo a maximizar a eficiência, a versatilidade e a acessibilidade. Oli é uma meta na qual a tendência para o “mais” é substituída por um positivo “basta”: “o tanto quanto se necessite ou seja necessário”. [Dicionário Collins]É de se esperar, portanto, que os clientes vejam muitos dos conceitos e inovações apresentados no oli nos futuros veículos da gama elétrica da Citroën.

Enquanto o Ami foi um pequeno passo no sentido de concretizar as ideias, o oli sinaliza um empolgante salto para a frente. Ao invés de um “palácio sobre rodas” de 2500kg, cheio de telas e dispositivos, o oli demonstra que uma quantidade suficiente de coisas que os clientes precisam e desejam, juntamente com o uso inventivo de materiais responsáveis e um processo de produção sustentável, podem atender as necessidades da sociedade com uma mobilidade barata, porém desejável, de emissões zero e que possibilita múltiplos estilos de vida.

Vincent Cobée explica por que o momento certo para o oli é agora: “Três conflitos estão acontecendo simultaneamente na sociedade – o primeiro é o valor e a dependência em relação à mobilidade; o segundo são as restrições econômicas e as incertezas em termos de rendimentos; e o terceiro é nossa vontade crescente de termos um futuro responsável e otimista. Os consumidores percebem que a era de abundância talvez tenha chegado ao fim e que regulamentações mais rígidas e custos mais altos podem limitar nossa liberdade de circulação. Ao mesmo tempo, a consciência cada vez maior de que precisamos acelerar nossos esforços para prevenir as mudanças climáticas está aguçando nossa consciência ecológica e nosso discernimento.”

Um típico carro familiar de meados dos anos 1970 pesava cerca de 800 kg e media 3,7 m comprimento por 1,6 m de largura. Os veículos equivalentes de hoje pesam mais de 1.200 kg e medem pelo menos 4,3 m de comprimento e 1,8 m de largura. Alguns chegam a pesar mais de 2.500kg. Parte disso se deve às exigências legais e aos requisitos de segurança, mas se a tendência persistir e continuarmos a deixar esses veículos parados 95% do tempo e a percorrer 80% dos trajetos com um único ocupante a bordo, o conflito entre a necessidade de proteger nosso planeta e a promessa futura de uma mobilidade elétrica sustentável não será facilmente resolvido.

“A Citroën acredita que eletrificação nunca deve significar extorsão e que a consciência ecológica não deve ser punitiva, restringindo nossa mobilidade ou tornando o convívio com os veículos menos gratificante. Precisamos inverter essas tendências, tornando os veículos mais leves e mais baratos e encontrando maneiras inventivas de maximizar sua utilização. Caso contrário, as famílias não conseguirão pagar o preço de uma mobilidade livre quando os veículos elétricos se tornarem a única opção disponível. O oli é uma demonstração contundente da maneira como a Citroën enfrenta esses conflitos, com determinação e otimismo.”

1.ÍMPETO 2.AMBIÇÃO 3.ENGENHOSIDADE 4.MISSÃO

Para Laurence Hansen, diretora de Produto e Estratégia da Citroën, e Laurent Barria, diretor de Marketing e Comunicação da Citroën, o oli resume a missão da Citroën de democratizar a mobilidade elétrica de uma maneira agradável.

A Citroën acredita que é chegada a hora de colocar um “basta” nessa tendência ao excesso e ao dispêndio e de focar na criação de veículos puros e honestos, mais leves, menos complicados e verdadeiramente acessíveis, inventivos e prazerosos.

O Ami, inusitado e descomplicado, deu um passo significativo nessa direção, enquanto modelos eletrificados e elétricos como o ë-C4 e o novo ë-C4-X, e veículos comerciais leves como o ë-Berlingo e o ë-Jumpy, já entregam os benefícios da motorização elétrica com o conforto, a personalidade e o valor que os clientes esperam da Citroën.
Com o oli, a Citroën demonstra corajosamente que aposta no futuro da mobilidade familiar ao repensar cada detalhe, a fim de reduzir recursos e materiais, e fazer veículos prazerosos que sejam de fácil utilização e compreensão, com um preço acessível, uma autonomia adequada e maior versatilidade.

“O oli é uma plataforma de trabalho para explorar ideias engenhosas e realistas para uma produção futura”, afirma Laurence Hansen. “Elas não vão surgir todas ao mesmo tempo, nem na forma que vemos hoje, mas o nível elevado de inovação apresentado é uma fonte de inspiração para os modelos futuros da Citroën.”

META: MELHOR AVALIAÇÃO DO CICLO DE VIDA

O oli, com sua concepção inteligente, é um carro-conceito familiar e multifuncional com foco na sustentabilidade e que demonstra claramente que é possível obter a melhor avaliação do ciclo de vida (Life-Cycle-Assessment-LCA), desde a concepção com uso limitado e otimizado de materiais leves e reciclados, até processos de produção sustentáveis, e desde a durabilidade para estender a vida útil até uma reciclagem responsável no fim da vida útil.

“Quisemos utilizar apenas a quantidade de materiais realmente necessária e para isso focamos resolutamente no objetivo de colocar os recursos corretos onde são essenciais e de limitar o impacto decorrente do uso desses recursos”, afirma Hansen.

Com a redução inteligente da quantidade de peças e componentes, o uso dos materiais mais leves e responsáveis, a redução da complexidade bem como o aumento da funcionalidade e da versatilidade, o resultado é um modelo muito mais eficiente, menos complicado, com preço bastante acessível e ao mesmo tempo surpreendentemente genial em termos de design e utilidade.

O que não falta no modelo são detalhes bem pensados. Os bancos, por exemplo, têm uma estrutura simples e utilizam 80% menos peças do que um banco convencional. Feitos com materiais reciclados, eles têm encostos inteligentemente concebidos em tela, realçando a luz natural no interior do veículo. Eles podem ser facilmente aprimorados ou personalizados para corresponder ao gosto de cada proprietário. É um ganho para todos, pois o peso do veículo é reduzido, os bancos são responsáveis e sustentáveis e a atmosfera da cabine tem um impacto positivo para o conforto dos ocupantes.

“Em última análise, mais do que uma escolha de veículo, o oli é uma escolha de estilo de vida. Você pode optar por pagar pelos equipamentos mais recentes e a inteligência artificial, que você só utiliza durante 2% do seu tempo de condução, ou você pode se perguntar ‘qual é a coisa mais responsável a fazer e de quanto disso eu realmente preciso?’” diz Hansen. “O oli é uma maneira de dizer basta! Eu quero algo inovador, mas quero que seja simples, com preço acessível, responsável e duradouro. O oli é tudo isso, além de levar muito prazer para sua vida!”

MAIS LEVE, MAIS LONGE E POR MAIS TEMPO

O Citroën oli mostra que se combatermos os inimigos da autonomia e da eficiência dos carros elétricos movidos a bateria, eles poderão ir mais longe, durar mais, ser mais versáteis e custar menos.

“É um círculo vicioso – aumentar a autonomia de um veículo elétrico requer uma bateria maior. O acréscimo de tecnologia requer mais energia, o que também exige uma bateria maior. Tudo isso acrescenta peso, complexidade e custo, e quanto mais pesado o veículo, menos eficiente ele se torna”, acrescenta Laurence Hansen. “O oli mostra o que acontece quando adotamos uma abordagem completamente diferente.”

Embora pareça encorpado, o oli não é pesado nem desajeitado – seu peso alvo de cerca de 1000 kg o torna significantemente mais leve que a maioria dos SUVs compactos comparáveis.

Como resultado, seu grupo motopropulsor totalmente elétrico precisa apenas de uma bateria de 40kWh para entregar uma autonomia de até 400km. A limitação da velocidade máxima a 110km/h para maximizar a eficiência torna realista um consumo de 10kWh/100km, bem como uma recarga de 20% a 80% em apenas 23 minutos.

PARCERIA DURADOURA

O Citroën oli foi projetado para maximizar a longevidade e a durabilidade, podendo, portanto, como uma casa, ter múltiplos proprietários e um ciclo de vida útil mais longo. Além da ambiciosa meta em matéria de avaliação do ciclo de vida (LCA), temos o objetivo de fazer do oli um veículo fácil de reparar, reformar, atualizar e personalizar, para que possa ser passado adiante “como novo” para proprietários sucessivos ou ser mantido na família para o benefício das gerações mais jovens.

Mais do que isso, o oli levou a Citroën a reavaliar todos os serviços e experiências oferecidos aos proprietários de carros elétricos ao longo de sua parceria com a marca, particularmente diante do aumento dos custos e dos desafios da mobilidade.

”Sabemos que veículos pesados e superdimensionados podem ser mais um fardo do que um prazer econômico e ecológico, e sabemos também que os consumidores estão cada vez mais sensíveis à poluição e ao congestionamento e querem ser responsáveis na hora de escolher uma marca,” disse Barria. “É por isso que na Citroën, além de nos dedicarmos a fabricar veículos confiáveis, estamos focados em criar parcerias duradouras com os clientes através de serviços inovadores aos proprietários e de experiências que possibilitem o estilo de vida que eles querem desfrutar”.

A chave para isso é ampliar a sensação de bem-estar que os clientes da marca já têm no interior do seu Citroën para incluir tudo o que esteja relacionado com o veículo e com sua trajetória de proprietários.

Consequentemente, a Citroën está revelando um novo programa abrangente de serviços e experiências ‘CITIZEN by Citroën’ inspirados no oli. A intenção é aumentar a sensação ‘zen’ que os proprietários de carros elétricos da Citroën vão sentir ao adotarem os veículos em suas vidas e em suas famílias.

1.ÍMPETO 2.AMBIÇÃO 3.ENGENHOSIDADE 4.MISSÃO

Para as equipes de desenvolvimento e de design da Citroën, engenhosidade foi a palavra de ordem para fazer do oli mais do que “carro”.

PARCEIRO DE VIDA ÚTIL

O Citroën oli é efetivamente um parceiro de vida – um objeto cotidiano útil que ajuda as pessoas a viverem a vida plenamente, mesmo quando não está em movimento. É um santuário ao abrigo da investida das novas tecnologias, um membro da família para se curtir e um dispositivo para se reconectar visivelmente com a natureza e a ecologia.

“Mais do que a casa em que vivem ou o veículo que conduzem, as pessoas cada vez mais veem sua pegada ecológica como uma expressão autêntica e positiva de quem são e de seu modo de vida”, afirma Anne Laliron, diretora de Produtos Avançados e Soluções de Mobilidade da Citroën. “Acreditamos que o oli vai genuinamente inspirá-los com seu modo genial e vivaz de fazer as coisas de um jeito diferente para simplificar e curtir a vida com menos impacto sobre os recursos do planeta.”

A Citroën desde sempre inventa estilos de vida que acompanham os seus veículos, e considerando a criatividade com que a nova geração de consumidores se relaciona com o anticonformista Ami, é de se supor que o espírito otimista do oli tenha o mesmo efeito.

CAPACITADOR DE UM ESTILO DE VIDA ELÉTRICO

Um excelente exemplo disso é a maneira como o oli viabiliza um estilo de vida elétrico além de sua função de mobilidade com zero emissões.

Enquanto “dispositivo elétrico” útil, ele se encaixa perfeitamente e naturalmente no sistema ecológico elétrico estabelecendo uma ligação essencial entre os painéis solares residenciais (que podem intermitentemente produzir energia extra que pode ser devolvida para a rede), as necessidades de energia elétrica de um consumidor em movimento ou em casa (por exemplo, no caso de um corte de energia), e a rede elétrica mais ampla.

Com um sistema inteligente como o V2G (Vehicle to Grid, ou Veículo para Rede), um veículo como o oli tem o potencial de armazenar a energia excedente dos painéis solares residenciais e vendê-la de volta aos fornecedores de energia, gerando um ganho para seu proprietário, além de ajudar a gerenciar problemas de abastecimento, como no caso de um pico de demanda ou de falta de energia na rede.

O Citroën oli também mostra como um veículo pode servir de “casa longe de casa” para uma viagem à praia ou um fim de semana acampando nas montanhas, graças à função V2L (Vehicle to Load). Com sua bateria de 40kWh e uma potência de tomada de 3,6kW (o equivalente a uma tomada doméstica de 230V e 16A), o oli pode, teoricamente, abastecer um dispositivo elétrico de 3000W por cerca de 12 horas.

“É perfeito para quem foi nadar ou se molhou na chuva e precisa secar o cabelo,” diz Anne Laliron. “Há energia para um secador de cabelo e ainda a possibilidade de desfrutar de uma bebida quente ou fresca conectando uma mini geladeira ou uma cafeteira, e quando anoitece você ainda pode ligar o grill e acender as luzes para o jantar – o oli é definitivamente o parceiro quotidiano do seu estilo de vida .

”Qualquer que seja o uso que se possa imaginar para o oli, em viagens ou em casa, de acordo com seu estilo de vida, ele esbanja funcionalidade de uma maneira inteligente, prática e fácil de usar.

UM DESIGN IMPULSIONADO PELA FUNCIONALIDADE

Surpreendente e veiculando uma mensagem forte, o oli exala personalidade, produtividade e positividade com sua postura e silhueta anticonvencionais, numa pegada semelhante a de um SUV compacto, com 4,2 m de comprimento, 1,65 m de altura e 1,9 m de largura.

Desafiando as categorias tradicionais, o oli se adapta às necessidades, podendo ser um carro familiar, um explorador urbano, um veículo aventureiro, um companheiro de trabalho e até mesmo uma extensão da casa familiar graças à sua capacidade de abastecer em energia aparelhos do dia a dia, de ajudar em caso de corte de energia ou fazer as vezes de plataforma para a limpeza de janelas.

Pierre Leclercq, diretor de design da Citroën, considera que o oli congrega pureza e genialidade para as famílias que não se importam com os estereótipos ou com o status que um carro representa: “Existe uma pureza que a Citroën sempre teve e que as outras marcas não possuem, e é muito mais desafiador criar um objeto que seja puro, porém único, do que criar algo excessivamente complicado e torná-lo único. É o caso de veículos icônicos como o novo Ami ou o 2CV – silhuetas imediatamente identificáveis como Citroën e que, devido ao seu pragmatismo, podem ter uma vida mais longa.”

No oli, a abordagem estética foi deliberadamente exagerada para reforçar a funcionalidade e a versatilidade. Tal como o Ami, o oli não tem medo de mostrar sua pegada simples e intuitiva e se diferencia pela utilização lúdica de detalhes coloridos, materiais de acabamento vibrantes e padrões vivazes que favorecem as oportunidades de personalização.

“Não temos receio de mostrar como o veículo é montado, por isso estruturas, parafusos e dobradiças ficam aparentes. O fato de optar pela pureza nos permite criar de uma maneira diferente e desafiar tudo. É como tratar de forma analógica muitas coisas que hoje já são digitais,” acrescenta Leclercq. “Foi por isso que adotamos uma abordagem menos automobilística com o oli, e é justamente essa pureza e engenhosidade que vão inspirar os elementos de nossa linguagem estilística nos próximos anos.”

Antes de criar veículos, Leclercq estudou desenho industrial, o que explica sua opção: “No curso de desenho industrial os professores dizem ‘não venha me dizer que é bonito, tem que ser funcional’. Assim, quando decidimos fazer o oli nós nos certificamos que a forma seguiria a função, como deve ser com tudo, desde eletrodomésticos até veículos utilitários. A maneira como o exterior de um veículo evolui é baseada na arquitetura interior – isso é muito importante pois não se pode apenas ser sexy do lado de fora sem compreender a experiência que queremos que as pessoas tenham do lado de dentro.”

A equipe pensou cada elemento do oli guiada pela multifuncionalidade, pela redução do peso e da complexidade através da utilização de menos peças ou de peças comuns e pelo uso responsável de materiais reciclados ou recicláveis sempre que possível.

Pierre Sabas, chefe de Advanced Design e Concept Vehicles da Citroën, diz: “Estabelecemos metas ambiciosas e isso se tornou um exercício de ‘design por processo’ – em vez de imaginar uma forma e tentar encontrar uma maneira de realizá-la, começamos pela funcionalidade que queríamos, em seguida simplificamos tudo e encontramos materiais inteligentes e responsáveis à medida que avançávamos na redução do peso e dos custos, e depois fizemos isso tudo de novo.”

PLATAFORMA VERSÁTIL

Embora o capô, o porta-malas e o teto de um carro tradicional possam parecer excelentes plataformas para ajudar nas tarefas domésticas como podar árvores, na realidade são poucos os veículos pensados para ter a força e a capacidade necessárias para isso. Este não é o caso do oli.

O capô plano, o teto e os painéis do piso da caçamba, além de definir a silhueta única do veículo, foram escolhidos em função dos objetivos de baixo peso, alta resistência e máxima durabilidade.

Feitos de papelão ondulado reciclado, formando uma estrutura alveolar em sanduíche entre painéis de reforço com fibra de vidro, eles foram desenvolvidos em parceria com a BASF. São revestidos de resina de poliuretano Elastoflex® e recobertos por uma camada protetora resistente e texturizada de Elastocoat®, que é amplamente utilizado em decks de estacionamento ou em rampas de carga e pintados com a inovadora tinta BASF R-M Agilis® à base de água.

Os painéis são muito rígidos, leves e resistentes – tão resistentes que suportam o peso de um adulto – e o peso é 50% inferior a um teto de aço equivalente. Sua versatilidade e durabilidade abrem um mundo de possibilidades para desfrutar do trabalho e do lazer.

Qualquer que seja o uso que se possa imaginar, desde utilizar o teto como escada até uma plataforma sobre a qual armar uma tenda, a utilidade vem sem peso adicional nem custo de materiais exóticos. É difícil acreditar que 6 kg de painéis possam suportar o peso de um adulto, além de serem bonitos e duradouros, mas é a verdade.

A versatilidade do transporte de carga também foi preservada, com barras posicionadas de ambos os lados do painel de teto, nas quais podem ser fixados acessórios como suportes de bicicletas e bagageiros para as férias familiares, enquanto sob o painel do capô há espaços de armazenamento bem definidos, incluindo compartimentos para cabos de carga e itens pessoais e de emergência.

O HORIZONTAL ENCONTRA O VERTICAL

Ao tomar a decisão deliberada de criar superfícies planas em função dos recursos e materiais utilizados, a equipe pôde experimentar o contraste entre elementos de design horizontais e verticais, como nos detalhes dos vidros e da iluminação.

“Todos os elementos essenciais do design do oli são perfeitamente horizontais ou verticais e isso é algo que queremos explorar,” diz Leclercq. “O procedimento usual seria optar por linhas dinâmicas e outras montadoras não teriam ousado fazer o que fizemos – mas nós estamos buscando honestidade e eficiência na linguagem das formas.”

O para-brisas é vertical porque esta é a distância mais curta entre o topo e a base e requer a menor quantidade de vidro. Além de reduzir o peso e a complexidade, o para-brisas menor tem um custo de produção e de substituição inferior e reduz a exposição dos ocupantes aos efeitos do sol. Ele também foi projetado para ajudar a reduzir em até 17% a demanda de energia fornecida pelas baterias para alimentar o eficiente sistema de ar-condicionado do oli.

“Pode-se argumentar que um para-brisas vertical é menos aerodinâmico, mas um veículo desse tipo não é projetado para ser conduzido a 200 km/h. Ele é mais útil em áreas urbanas e suburbanas, onde as pessoas diminuem a velocidade e têm consciência dos aspectos ambientais e de segurança relacionados à mobilidade quotidiana. É por isso que limitamos a velocidade máxima do oli a 110km/h,” explica Sabas.

Dito isto, para melhorar a eficiência, o oli apresenta o sistema experimental “Aero Duct” entre a parte frontal do capô e o painel superior plano, que sopra o ar em direção ao para-brisa, criando um efeito de cortina para suavizar o fluxo de ar sobre o teto.

A moldura chamativa do para-brisas conta com um acabamento em vermelho vivo Infra-Red – uma nova cor assinatura que a Citroën vai usar juntamente com uma nova identidade de marca. O contraste entre horizontal e vertical é evidente na concepção racional dos painéis laterais e dos vidros.

As portas dianteiras seguem o exemplo do Ami e são idênticas de ambos os lados, embora montadas de forma diferente. São mais leves, porém resistentes, e muito mais fáceis de fabricar e de montar. A redução da complexidade e a simplificação da montagem permitem diminuir em 20% o peso de cada porta em comparação com um hatchback familiar convencional. A necessidade de componentes é cortada pela metade e economiza-se 1,7 kg por porta com a retirada do alto-falante, do isolamento acústico e da fiação elétrica.

O painel externo da porta é mais simples de estampar e foi pensado para maximizar o armazenamento interno. Curvas suaves sobem pelas laterais do veículo e em direção à parte superior do vidro lateral à medida que ele se inclina em direção ao teto.

As amplas janelas horizontais inclinam-se ligeiramente em direção ao solo para ajudar a reduzir os efeitos do sol, enquanto aberturas pantográficas “flip up”, semelhantes às do Ami e facilmente operadas manualmente, encarregam-se da ventilação do ar.

As portas traseiras, mais estreitas, estão articuladas à parte traseira do veículo e usam vidros verticais para proporcionar mais luminosidade e visibilidade aos passageiros traseiros. A diferença de formato entre as portas dianteiras e traseiras permitiu o acréscimo de uma entrada de ar passiva, proporcionando ventilação para os passageiros dos bancos traseiros.

O acesso à espaçosa cabine é amplo, livre e sem obstáculos com ambas as portas laterais abertas – ideal para embarcar todos os membros da família com eficiência. Os módulos de iluminação dianteira e traseira são igualmente descomplicados, altamente diferenciados e também exploram o contraste entre duas linhas horizontais e uma seção vertical. Essa característica vai evoluir ainda mais e será uma assinatura luminosa distinta nos futuros veículos de série da Citroën.

COMPARTIMENTO DE CARGA INUSITADO

Ao invés de um porta-malas convencional ou de uma silhueta hatchback, o oli faz um inesperado e inspirado exercício de design de produto útil.

“Quando pensamos em praticidade e versatilidade, especialmente em um veículo compacto projetado para ser ultra responsável e eficiente, precisamos pensar de um jeito diferente. Muitas pessoas acham que um SUV pequeno não é mais prático do que um hatchback compacto, de forma que o inusitado piso da caçamba do oli com um porta-malas embaixo é nossa visão provocativa de como obter o melhor de vários mundos,” diz Leclercq.

O Citroën oli foi concebido para ser facilitador de estilo de vida de fácil utilização. Assim, na hora de levar para casa móveis recém-comprados em suas embalagens planas ou transportar pranchas de stand-up e uma barraca de teto dobrável para um fim de semana na praia, basta colocar tudo no espaço da caçamba e no porta-malas, graças à sua concepção engenhosa e funcional.

Os encostos de cabeça traseiros independentes são escamoteados no teto, o painel de vidro traseiro abre para cima e pronto – o piso de carga plano removível de 994 mm de largura estende-se instantaneamente de 679 mm para 1050 mm de comprimento.

Versatilidade é o que não falta, sem falar na facilidade de carregamento. Quando a tampa traseira é rebatida e o painel do piso de carga é removido, a altura entre o assoalho do veículo e o vidro traseiro chega a 582 mm. Com o painel no lugar, o porta-malas localizado abaixo oferece com segurança uma altura útil de 330 mm. O painel do piso é removível, leve e plano e tem a mesma estrutura de papelão reciclado dos painéis do capô e do teto.

Acessórios ou ganchos podem ser fixados nos trilhos posicionados de ambos os lados do piso e caixas de armazenamento adicionais estão localizadas nas paredes laterais fornecendo um espaço de arrumação seguro e fechado.

A porta traseira, com seu design limpo, é composta por duas seções – um painel de aço inferior com uma parte central mais funda para a placa, e uma seção superior de tela preta que ostenta de maneira visível uma nova e importante mensagem visível para qualquer pessoa que siga atrás, bem como para o motorista no espelho retrovisor : “Nada nos move como a Citroën”.

LOGOTIPO NOVO, PORÉM FAMILIAR

Além da promessa sutil sinalizada aos clientes pela tampa traseira, o oli lança mão do legado racional de engenharia da Citroën para apresentar uma orgulhosa nova identidade da Citroën.

Enquanto as formas do oli se expressam no contraste entre horizontal e vertical, arredondado e plano para sugerir funcionalidade, competência técnica e desenho industrial inteligente, o novo logotipo “flutuante” faz exatamente o mesmo. Chevrons em relevo estão ousadamente posicionados na horizontal sobre o emblema para indicar engenharia e eficiência técnica, em contraste com a suavidade calorosa de uma moldura vertical oval que sugere o compromisso inabalável da marca com o bem-estar de seus clientes.

O novo emblema evoca deliberadamente o logo original da empresa de 1919, ao mesmo tempo que faz uma releitura para os futuros modelos da Citroën. A identidade foi planejada para aparecer progressivamente nos futuros lançamentos de produtos, bem como em toda a rede de empresas e concessionárias Citroën.

AS RODAS CONTINUAM GIRANDO

Essencial para maximizar o uso de materiais sustentáveis, aumentar a durabilidade e diminuir as despesas, existe uma área de inovação que é reconhecida pelos proprietários de veículos como sendo potencialmente cara e prejudicial para o meio ambiente – as rodas e os pneus.

“O compromisso da Citroën com o ‘Advanced Comfort’ é notório e as rodas e os pneus desempenham um papel de extrema importância para o bem-estar dos ocupantes do veículo,” diz Sabas. “Com a pressão para reduzir o impacto ambiental dos pneus e o custo crescente da troca ou do reparo das rodas danificadas, decidimos explorar opções mais sustentáveis e duradouras para ambos sem descuidar da qualidade do conforto de condução que se espera de um Citroën.”

O engenhoso e eficiente conjunto de rodas e pneus de 20 polegadas montado no oli associa um novo protótipo de roda híbrida com um pneu conceitual, sustentável e inteligente criado em parceria com a Goodyear.

Como as rodas de alumínio são caras e sua produção consome muita energia e as rodas de aço são pesadas, a opção foi misturar as duas. O resultado são rodas híbridas 15% mais leves que as rodas de aço equivalentes e uma redução do peso total do veículo de 6 kg. As vantagens em termo de design também são consideráveis.

“As rodas de aço não são bonitas ou aerodinâmicas, a não ser que sejam inteiramente recobertas. Em nosso protótipo, parafusamos um anel de alumínio no cubo de aço, cobrindo parcialmente a roda e reduzindo assim o peso e o custo. Também podemos explorar as cores e os grafismos do anel para melhorar o fluxo de ar ao redor da roda e criar um look estiloso de roda de liga” acrescenta Sabas.

A Citroën fez uma parceria com a Goodyear para usar o pneu-conceito Eagle GO, que combina sustentabilidade com longevidade e tecnologia inteligente para monitorar as condições e a saúde do pneu.

A banda de rodagem é quase inteiramente composta por materiais sustentáveis ou reciclados, incluindo óleos de girassol e sílica feita a partir de cinzas de casca de arroz, bem como resinas de pinheiro e borracha natural que substitui a borracha sintética derivada de petróleo.

A grande novidade para os proprietários de veículos é que a Goodyear fixou um objetivo impressionante para o pneu-conceito Eagle GO: alcançar uma vida útil de até 500.000 km através da reutilização da carcaça sustentável, já que a espessura de 11 mm da banda de rodagem pode ser renovada duas vezes ao longo da vida útil do pneu. O pneu também conta com a tecnologia Goodyear SightLine, que inclui um sensor que monitora permanentemente uma série de parâmetros que avaliam a saúde do pneu ao longo de sua vida útil.

“Esta é nossa terceira parceria com a Goodyear e a combinação de nossa nova roda híbrida com o inovador pneu-conceito Eagle GO eleva o nível das soluções sustentáveis, inteligentes e que exigem pouca manutenção, ao mesmo tempo que garante que continuemos a priorizar o conforto e o bem-estar,” diz Leclercq.

PROTEÇÃO INTEGRAL

O Citroën oli protege ao mesmo tempo que é protegido, graças a partes externas resistentes que demonstram a mesma integridade quando se trata de reduzir o número de peças, utilizar materiais responsáveis e reduzir o peso.

Para executar o elemento de design que compõe a assinatura da Citroën, o parceiro Plastic Omnium ajudou a criar uma abordagem ‘mono material’ para facilitar a reciclagem graças a uma proteção lateral leve, porém resistente, e a um para-choques 100% reciclável feito de polipropileno contendo 50% de materiais reciclados. Cada caixa de roda também é revestida com material de proteção plástico resistente e reciclado, com a parte superior horizontal repetindo o tema de contraste usado nas janelas e nos conjuntos ópticos.

As seções centrais dos para-choques, como as utilizadas no Ami, são idênticas na frente e atrás. Abaixo, as ‘alças’ triangulares na cor vermelho Infra-Red são, na verdade, ganchos fortes que podem ser usados para ajudar a rebocar outro veículo para fora da lama ou tirar uma grande pedra do caminho.

Até mesmo a tinta branca BASF R-M Agilis®, resistente e à base de água, é eco eficaz com o menor nível de compostos orgânicos voláteis (abaixo de 250g/l).

ESPAÇO INTERNO: UMA FRONTEIRA DESAFIADORA

Os designers de veículos sempre sonham alto na hora de projetar o espaço interno, mas muitas vezes se rendem ao desejo de acrescentar telas maiores, apoios de braço mais altos, painéis inclinados, assentos mais felpudos e assim por diante. Isto acrescenta materiais, peso e custo.

“Decidimos projetar o interior do oli com o máximo de espaço e luminosidade e a menor infraestrutura possível, e maximizar o uso de materiais sustentáveis,” diz Leclercq. “Isto não é tão fácil como parece porque o habitáculo deve ser confortável, sólido e seguro e existem alguns elementos tecnológicos que os clientes esperam encontrar no veículo. Nós nos inspiramos no design de outros produtos que utilizam o espaço com eficiência, onde menos é mais – como um smartphone ou um sistema de som hi-fi. Afinal de contas, de quantos botões, mostradores e telas você realmente precisa?”

Uma prancha na frente:

Em vez de um painel de instrumentos completo com várias telas e computadores escondidos, equipamos o oli com uma única prancha simétrica que atravessa a largura do veículo, com a coluna de direção e o volante em um dos lados, um espaço para o smartphone e cinco teclas claramente identificadas para o sistema de ar-condicionado no centro.

O oli utiliza apenas 34 peças nessa área, enquanto um hatch familiar compacto comparável utiliza cerca de 75 partes no painel de instrumentos e console central.

O painel abriga um trilho eletrificado onde os acessórios podem ser conectados em entradas USB que deslizam ao longo do seu comprimento. Isto é ideal para carregar dispositivos ou mesmo ligar uma cafeteira enquanto se espera as crianças saírem da escola.

Duas saídas de ar diretas, na frente do motorista e do passageiro, permitem o uso de uma unidade de ar-condicionado menor, contribuindo ainda mais para a eficiência e redução do peso. Atrás e abaixo da “prancha” fica o “sofá” feito de Elastollan® da BASF – uma prateleira de arrumação reciclável de poliuretano termoplástico (TPU) impressa em 3D, na cor laranja, equipada com “cogumelos” flexíveis que mantêm objetos como xícaras de café ou latas de refrigerante no lugar.

Plug and Play:

No oli, todo o infotenimento que você precisa é levado a bordo do veículo no seu smartphone pessoal, que é acoplado na tomada central do painel. Quando conectado, as informações e apps do telefone misturam-se aos dados essenciais do veículo, tais como velocidade e nível de carga. Isto pode ser visualizado através de um sistema ‘Smartband’, que projeta as informações em toda a largura da borda inferior do para-brisa.

“Como um smartphone tem mais poder de computação do que muitos veículos, decidimos adotar uma abordagem diferente para o infotenimento,” acrescenta Sabas. “Todos nós levamos nossos telefones conosco e usamos aplicativos para navegação e entretenimento, por isso vimos uma chance de economizar despesas, evitar duplicação e reduzir o peso dos sistemas integrados. Basta trazer seu próprio aparelho e conectá-lo.”

A mesma abordagem é usada para o áudio dentro do veículo. As extremidades da “prancha” são ocas e podem abrigar alto-falantes Bluetooth cilíndricos para fornecer um som de alta qualidade, ouvir podcasts ou outros programas durante os trajetos. Na verdade, a mera eliminação do sistema de áudio permitiu uma redução de peso de 250 g.

Como os alto-falantes são removíveis, o áudio fica disponível com o carro estacionado em qualquer lugar. Eles podem ser suspensos em ganchos nos trilhos da caçamba na parte de fora do veículo para você ouvir sua última playlist com excelente qualidade sonora enquanto janta ao ar livre ou curte uma festa na praia.

Controle de IHM:

Após pesquisar diferentes soluções de IHM (interface homem-máquina), a equipe teve a ideia inusitada de utilizar um joystick de um gamepad modular profissional, montado no volante do oli.

“O joystick funciona realmente muito bem – é fácil de controlar e é um ótimo exemplo de como podemos transferir soluções de aplicações não automotivas familiares e fazê-las funcionar quando aplicadas a um veículo,” diz Sabas.

A coluna de direção também incorpora um seletor de marchas giratório para o controle automático da transmissão do veículo, acoplado ao botão do “start stop”, enquanto hastes menores comandam as luzes e os indicadores do veículo.

Eficiente em termos de espaço:

Em vez de bancos automotivos volumosos que impedem a luminosidade de entrar e ocupam muito espaço, os assentos dianteiros do oli usam o espaço com eficiência e contêm 80% menos peças do que os assentos de um SUV equivalente – apenas 8 ao invés de 37.

Os bancos dianteiros num tom vibrante de laranja possuem uma sólida estrutura tubular sobre a qual é montado um confortável assento almofadado recoberto por um material têxtil feito de poliéster 100% reciclado e reciclável.
Os inovadores encostos de tela impressos em 3D possuem um apoio de cabeça integrado e são inspirados no mobiliário de escritório moderno. Embora finos, têm uma ótima sustentação, são confortáveis e rígidos exatamente onde devem ser.

Criados em parceria com a BASF, eles são feitos em poliuretano termoplástico (TPU) leve, 100% reciclável e recobertos com um revestimento laranja que os torna convidativos. Os encostos de tela amplificam a sensação de espaço e luminosidade no interior do veículo – uma contribuição essencial para o conforto e o bem-estar dos ocupantes.

Os passageiros do banco traseiro podem usar a estrutura tubular aparente do encosto para fixar acessórios – por exemplo, um pequeno tablet ligado a uma entrada USB, ganchos para pendurar sacolas, um suporte para copos, uma rede para revistas como nos aviões, ou ainda uma pequena bandeja para o lanche das crianças.

Cumprindo o compromisso da Citroën com o conforto, os bancos dianteiros são presos ao piso por argolas isolantes em TPU flexível e reciclável, que absorvem as imperfeições da estrada e as vibrações, e remetem aos famosos “amortecedores hidráulicos progressivos” da marca.

“A forma como são feitos os bancos dianteiros é perfeitamente compreensível,” explica Sabas. “Eles são fáceis de desmontar, remover e reciclar quando se quer mudar a cor, por exemplo. Nada está escondido e não há estruturas ocultas – eles são tão simples quanto parecem e um exemplo perfeito de como a funcionalidade e a pureza inspiraram cada elemento do design.”

Bancos traseiros individuais igualmente confortáveis são feitos de materiais similares, com encostos totalmente rebatíveis para estender o piso do compartimento de carga traseiro. Apoios de cabeça circulares em TPU montados no teto flutuam acima de cada encosto e podem ser escamoteados quando necessário.

Em cada lado do veículo debaixo dos bancos traseiros, um discreto compartimento para um kit de primeiros socorros é acessível com as portas traseiras abertas.

Um console para guardar objetos fica bem no espaço entre os bancos traseiros individuais. Assim como o ‘sofá’, este elemento de TPU laranja, macio e reciclável impresso em 3D possui “cogumelos” flexíveis que mantêm os objetos no lugar. Todas as peças de TPU da BASF podem ser recicladas juntas, o que representa mais um passo na direção da utilização sustentável de um material único como elemento de Avaliação do Ciclo de Vida.

Em vez de painéis de portas internos pesados, equipados com interruptores, apoios de braço, alto-falantes e motores de abertura das janelas, os painéis simplificados do oli maximizam o espaço de armazenamento ao mesmo tempo que fornecem a infraestrutura para o conforto e facilitam a abertura e o fechamento.

Uma ampla rede de armazenamento aberta é inserida entre os painéis interno e externo das portas dianteiras, e uma almofada laranja de apoio de braço, 100% recoberta de material têxtil de poliéster reciclado e reciclável, é diretamente fixada a uma linha horizontal no painel. A abertura das portas dianteiras é fácil, graças a um puxador reciclável apresentado através do painel e diretamente conectado ao mecanismo. Os parafusos e fixações utilizados nas portas e bancos são intercambiáveis, reduzindo ainda mais a complexidade.

Eficiência sob os pés:

Ao invés de tapetes difíceis de limpar, o oli apresenta um revestimento de piso modular monobloco de poliuretano termoplástico expandido (E-TPU), feito em parceria com a BASF. A espuma é elástica como borracha, porém mais leve, extremamente resiliente e altamente resistente à abrasão. Ele pode ser totalmente substituído se o proprietário preferir uma nova cor.

“Este material de alta qualidade e alto desempenho é normalmente encontrado no mundo do esporte,” diz Pierre Leclercq, com orgulho. “Ele é utilizado em pistas de corrida, selins de bicicletas e mesmo na sola de calçados de corrida conhecidos por causa de suas propriedades de impulsão e amortecimento que podem melhorar o desempenho e o conforto na pista.”

O piso também é recoberto com um revestimento altamente elástico e impermeável que pode ser facilmente lavado. No piso, “plugues de dreno” recicláveis em TPU permitem remover sem dificuldade areia, algas marinhas, lama e folhas depois de um dia de calor na praia ou de um dia chuvoso na floresta.

CÍRCULO DE VIDA

Um elemento essencial da história do oli é sua concepção focada na longevidade a fim de criar sua própria economia circular. Ele mostra como é fácil e barato reinventar um veículo para que possa ter sucessivas vidas nas mãos de novos proprietários, usando peças remanufaturadas, novos acabamentos ou cores e até mesmo peças aprimoradas ao longo do tempo.

O custo total de propriedade será baixo e se houver necessidade de trocar uma porta, um farol ou um para-choques, as peças poderão ser fornecidas de forma responsável pela Citroën, recicladas a partir de outros exemplares do oli que não estão mais em circulação.

Se reformar um veículo for mais caro do que comprar um novo, ele logicamente não será reformado. O oli muda essa lógica – é mais positivo, do ponto de vista ambiental e econômico, reformar do que substituir ao longo de vários ciclos de vida. Quando reformar deixar de ser economicamente vantajoso, a Citroën poderá transformar cada oli em um doador de peças recicladas para outros modelos que precisam delas ou enviar as peças para a reciclagem geral.

1.ÍMPETO 2.AMBIÇÃO 3.ENGENHOSIDADE 4.MISSÃO

Com o oli, a Citroën tem a missão de transmitir mensagens importantes sobre o futuro da mobilidade familiar acessível economicamente, sustentável e prazerosa, bem como sobre o futuro da própria marca:

“Arriscamos com o Ami, e estamos novamente arriscando com o oli porque precisamos levar a criatividade aos veículos de série,” afirma Pierre Leclercq. “Não faz sentido propor materiais ou estilos arrojados que nunca virão a influenciar nossa futura produção em série. Por isso a inclusão do novo logotipo no oli é relevante, porque da mesma forma que veremos elementos do seu design e tecnologia em futuros modelos, a nova interpretação do emblema da Citroën será nosso novo e acolhedor padrão”.

“Temos uma ampla base de clientes porque oferecemos mobilidade pessoal em modelos que vão do Ami ao C5-X, e nem todos os clientes estão prontos para aceitar que há coisas de que não precisamos,” diz Laurence Hansen. “Portanto, ainda que não pretenda mudar tudo da noite para o dia, a Citroën quer promover o diálogo, entender o que pode ser considerado suficiente e demonstrar que podemos fazer o que é certo e cumprir nossa missão de levar uma mobilidade responsável, acessível e alegre para todos.”

INSPIRAÇÃO

Vincent Cobée reconhece que um futuro feliz depende da nossa capacidade de reformular em vez de apenas ajustar a maneira como gastamos, escolhemos, consumimos, nos movemos, poluímos, descartamos e pensamos:

“O setor automotivo não é imune às revoluções que desafiam todos os outros setores, à medida que nos deparamos com os problemas causados por nosso consumo excessivo, e a Citroën está agindo concretamente para provar que existem maneiras de mudar não convencionais que não são enfadonhas nem punitivas. O Ami é um grande exemplo disso e temos orgulho do seu sucesso enquanto uma opção real de mobilidade não conformista para os dias de hoje.

Com sua maneira inteligente de pensar, suas mensagens de integridade e seu jeito de fazer o que é certo, o Citroën oli – nosso ‘laboratório sobre rodas’- mostra como podemos inspirar futuras famílias. O oli é surpreendente e não convencional – mas nós somos a Citroën e entendemos que ninguém é notado por fazer declarações amenas.

O Citroën oli exemplifica nossa missão de mobilidade: responsável, descomplicado e economicamente acessível para o seu dia a dia, sem deixar de ser ambicioso, desejável e prazeroso.
É nossa inspiração para a solução que queremos ter como o único veículo que sua família precisará ter daqui a dez anos.”

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Instituto Árvore da Vida e AVSI Brasil entregam novo espaço de coworking

O ambiente conta com computadores, internet, impressora, salas de reunião e outras ferrame…